Imagem: Reprodução

Base Nacional Comum Curricular do Ensino Médio é apresentada

Antes de deixar o cargo, no dia 5 de abril, o agora ex-ministro da Educação, Mendonça Filho, entregou ao Conselho Nacional de Educação (CNE) a etapa da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) referente ao Ensino Médio para discussão junto à sociedade, antes de ser submetida à avaliação dos conselheiros.

De acordo com governo, o documento vai permitir a implementação da Reforma do Ensino Médio, que tem como ponto central a flexibilização dos currículos. Após discutido e aprovado, ele norteará os currículos dessa etapa escolar e também servirá como referência para a formação dos professores do ensino médio, para os livros didáticos e, futuramente, para as avaliações.

O texto assegura que todas as escolas brasileiras, sejam públicas ou privadas, desenvolvam com seus alunos as mesmas habilidades e competências essenciais, garantindo uma educação de qualidade para todos. Mas a base não é currículo. Ela estabelece o ponto aonde se quer chegar, enquanto os currículos – que são de responsabilidade das redes de educação e das escolas – determinam como atingir esses objetivos.

A etapa da base que diz respeito à educação infantil e ao ensino fundamental foi homologada pelo ex-ministro, em dezembro de 2017, e já é uma norma para as redes e escolas de todo o país.

Competências e habilidades

A BNCC do Ensino Médio se organiza em continuidade ao proposto para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental, centrada no desenvolvimento de competências e orientada pelo princípio da educação integral. Com ela, diz o Ministério da Educação (MEC), o modelo brasileiro para o ensino médio se aproximará daqueles adotados nos países que são referência de educação no mundo.

O documento está organizado por áreas de conhecimento (Linguagens e suas Tecnologias, Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias, Ciências Humanas e Sociais Aplicadas). Elas têm por finalidade integrar dois ou mais componentes do currículo, para melhor compreender e transformar uma realidade complexa.

Na BNCC, são definidas competências específicas para cada área do conhecimento, que também orientam a construção dos itinerários formativos relativos a essas áreas. Elas estão articuladas às competências específicas de área para o Ensino Fundamental, com as adequações necessárias ao atendimento das especificidades de formação dos estudantes do Ensino Médio.

Relacionadas a cada uma dessas competências, são descritas habilidades a ser desenvolvidas ao longo da etapa, além de habilidades específicas de Língua Portuguesa – componente obrigatório durante os três anos do Ensino Médio, tomando como referência o limite de 1.800 horas do total da carga horária da etapa.

Para essa etapa eletiva, as escolas podem oferecer itinerários formativos de cada uma das áreas do conhecimento ou que combinem conteúdos de diferentes áreas ou mesmo itinerários formativos focados em algum aspecto específico de uma área, como música ou filosofia.

Os alunos poderão, ainda, optar por uma formação técnico-profissionalizante, que agora poderá ser cursada dentro da carga horária regular do ensino médio. Quer conhecer melhor toda a BNCC, clique aqui. E também não deixe de assinar nossa newsletter para receber novidades sobre os universos da educação, da robótica e da tecnologia.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *